Serviços

A AEG utiliza da proposição em comparar os municípios como empresas haja vista suas estruturas parecidas - possuem gastos, efetuam pagamentos de funcionários, contabilidade, RH, entre outros. A grande diferença entre elas é a clientela, para os municípios a população, tendo que efetuar prestações de serviços para o bem estar da sociedade.

Os Municípios são obrigados a oferecer à sociedade, saúde, educação, emprego, lazer e segurança, para cumprir com os dispositivos da Carta Magna a Constituição Federal. Os órgãos públicos necessitam da viabilização de recursos, normalmente originários dos impostos, taxas e contribuições e as fontes desses tributos são estabelecidas por legislações federais, estaduais e municipais.

Até meados dos anos de 1990 os repasses constitucionais custeavam as despesas operacionais dos municípios e como os recursos constitucionais eram tidos como os mais importantes, as prefeituras deixaram de dar atenção aos seus próprios tributos que, atualmente, representam em média de 40% da base da economia dos municípios.

Muitas prefeituras possuem potencial de arrecadação bastante significativo, porém, perdem seus recursos por não possuírem estrutura administrativa adequada para atendimento aos cidadãos, e ferramentas apropriadas para combater a sonegação fiscal, tida como a maior vilã.

A AEG desenvolveu uma proposta no sentido de oferecer aos Municípios, projetos para profissionalizar os recursos humanos, visando melhorar os serviços e conseqüentemente incrementar a arrecadação municipal.